Archive for the ‘Saúde’ Category

Dicas para acelerar o metabolismo e perder peso

Os anúncios estavam certos: a vida não é feita para contar calorias. Não, pelo menos, quando você quer perder peso . E, como explicado pelos nutricionistas , a relação entre as calorias que gastamos e as que ingerimos não é suficiente para chegar a uma conclusão sobre os quilos que ganhamos ou perdemos. Ou seja, a teoria do equilíbrio energético e “coma menos e se mova mais” pode não ser tão verdadeira quanto parece.”

Algo tão complexo quanto a fisiologia de cada indivíduo não pode ser simplificado apenas com base nesse princípio. Além disso , as dietas hipocalóricas que seguem essa regra não fornecem uma perda de peso mantida ao longo do tempo”, explica o especialista. Sobre isso, ele esclarece que, ao reduzir as calorias sem levar em consideração sua qualidade ou origem, outros mecanismos biológicos, ambientais ou comportamentais são excluídos, promovendo seu inevitável fracasso.

Sua maior desvantagem é o temido efeito rebote , no qual nosso corpo, diante de uma dieta restritiva, retarda o metabolismo para reduzir nosso consumo de energia, ou seja, é colocado em ‘modo de economia’, favorecendo o armazenamento de gordura por retomar nossa dieta habitual.

Dica: Para acelerar o metabolismo mais rapidamente, tome Cuperine 2 vezes ao dia.

Portanto, embora para perder peso, você tenha que ingerir menos calorias do que precisamos, se cuidarmos da origem e da qualidade dos alimentos, faremos isso com mais eficiência.

Especialmente porque evitaremos alterar, entre outras coisas, o sentimento de fome e saciedade, o principal culpado pela falta de adesão. O corpo não responde igualmente a alguns biscoitos industriais (mesmo que sem açúcar) e a um punhado de nozes.

Enquanto os primeiros fazem parte do grupo de alimentos processados, gerando picos de insulina e terminando, novamente, querendo comer, as nozes fornecem gorduras saudáveis ​​e um alto poder de saciedade, tornando o caminho mais suportável. Portanto, embora excedam os cookies em sua ingestão calórica, eles nos abordam com mais eficiência em relação ao nosso objetivo.

Dieta reversa é a solução para o efeito rebote. Depois que o peso desejado foi perdido ou a pessoa estagnou e não pode mover um número na balança, é hora de começar a dieta reversa. Como Aumentando as calorias progressivamente até voltarmos ao que comemos antes de iniciar a dieta.

Dessa maneira, damos tempo ao metabolismo para recuperar seu ritmo normal. “Nosso principal regulador de energia é o hipotálamo, uma glândula envolvida na liberação de hormônios leptina e tireóide, os principais agentes que controlam o metabolismo, a queima de gordura e o apetite. Portanto, devemos entender que escolher bem Os alimentos que farão parte do cardápio serão decisivos para o nosso sistema hormonal, bem como como ajustar as quantidades.

Aqui estão algumas dicas práticas para perder peso sem passar fome:

Controle leptina: Quando uma dieta hipocalórica é mantida por muito tempo, os níveis desse hormônio caem, aumentando o apetite e diminuindo o metabolismo. “Inclui um dia rico em carboidratos. Isso ajudará a aumentar os níveis de leptina e evitar o efeito rebote no final da dieta”, aconselha o nutricionista.

Coma alimentos ricos em proteínas e fibras: Qualquer plano de refeição que crie fome gera rejeição. Portanto, Henarejos recomenda a introdução de alimentos que ajudem a reduzi-lo, como carnes, legumes ou frutas inteiras.

Reduzir alimentos processados: Estes, juntamente com cereais refinados, reduzem a sensibilidade à leptina no cérebro, causando desequilíbrios hormonais. “Comer açúcar nos faz querer tomá-los novamente, e você entra em um ciclo que acaba ficando acima do peso”, diz ele.

Coma menos vezes ao dia: Dietas com refeições a cada poucas horas geralmente têm um efeito oposto ao que elas perseguem. Elas constantemente geram picos de insulina. De fato, há uma base científica que sustenta que fazer cinco refeições por dia é mais eficaz do que duas ou três.

Truques para não acordar a noite pra urinar

Você dorme profundamente quando acorda de repente, com a necessidade predominante de urinar .

Então você rasteja até o banheiro para fazer suas coisas antes de voltar para a cama. Se tiver sorte, você adormecerá novamente até o alarme tocar. Mas, se não, você passará seu tempo na cama ou voltará a dormir apenas para acordar um pouco mais tarde e voltar ao banheiro para esvaziar a bexiga.

“É irritante acordar à noite para urinar ” , diz o médico Daniel Shoskes, urologista da Clínica Cleveland. Não apenas afeta diretamente seu descanso, mas também pode estar indicando algo mais sério.

O termo médico para urinar excessivamente à noite é noctúria. Em geral, é definida como a necessidade constante de acordar para urinar uma ou mais vezes durante a noite.

Há duas razões básicas pelas quais você acorda à noite para urinar : a primeira é que você está produzindo muita urina. Se for esse o caso, você geralmente urina uma carga completa toda vez que vai, diz o Dr. Shoskes. Isso pode ocorrer porque você bebe muito líquido, efeitos colaterais dos medicamentos ou mesmo condições graves, como insuficiência cardíaca, insuficiência renal ou hepática.

A segunda razão para urinar é que a bexiga simplesmente pensa que precisa ir embora, mesmo que não esteja cheia. Nesse caso, você estaria urinando uma carga menor. Isso pode ser porque algo está irritando sua bexiga, como inflamação causada por uma infecção ou aumento da próstata, acrescenta ele, em casos assim, RenovaProst é uma solução perfeita que pode resolver o problema rapidamente.

Somente seu médico pode saber ao certo o que está causando sua noctúria. Portanto, se você estiver preocupado com todas as visitas que você faz ao banheiro durante a noite, marque uma consulta para verificar se algo está errado com seus tubos. Além disso, aqui estão algumas coisas que você pode tentar parar de acordar para urinar .

1: LIMITAR O CONSUMO DE LÍQUIDO ANTES DE DORMIR

O prazo para beber líquidos deve ser de duas horas antes de ir para a cama. Isso deve dar aos líquidos tempo suficiente para serem processados ​​pelo corpo e passar pela bexiga, para que você ainda urine e não precise alterar o descanso.

2: EVITANDO CAFEÍNA E ÁLCOOL

A cafeína irrita a bexiga e faz com que você urine com mais frequência. Além disso, se você o beber imediatamente antes de ir para a cama, também poderá complicar seu sono.

Além disso, quando se trata de manter a bexiga funcionando corretamente, o álcool não é seu amigo. Quando você bebe álcool, suprime o nível de hormônio antidiurético (ADH) em seu corpo, o que impede a produção de urina. Como resultado, você faz uma quantidade maior de xixi.

Essa supressão do ADH pode continuar da noite para o dia, o que significa que você produzirá mais urina do que o normal quando estiver dormindo. Como resultado, você sentirá a necessidade de urinar .

3: AGENDE SUAS MEDICAÇÕES

“Se você toma um diurético, tente tomá-lo pela manhã em vez de antes de ir para a cama” , os diuréticos incluem medicamentos para tratar a pressão alta. Isso ajuda seus rins a eliminar sódio e água do seu corpo, diminuindo o volume de sangue para que seu coração não trabalhe tanto para bombear.

Tomar de manhã é melhor, eles continuarão a fazer você urinar mais, mas pelo menos você não precisará acordar para fazer isso.

Outros medicamentos que podem causar a necessidade de urinar durante a noite incluem alguns antidepressivos (como lítio), anestésicos, analgésicos clínicos e antibióticos.

4 : coma menos sal

Um estudo de 2017 descobriu que a redução da ingestão de sal ajudou os participantes a parar de acordar no meio da noite para urinar . De fato, aqueles que reduziram a ingestão de sódio de 10,7 gramas para 8 gramas por dia acordaram em média, menos uma vez por noite.

Eles também experimentaram melhorias em sua qualidade de vida em geral, provavelmente porque seu sono era menos fragmentado, ajudando-os a se sentirem mais frescos.

Dicas Para se Livrar da Depressão

Definida como “a doença do século “, a depressão é uma condição muito frequente que se tornou parte da linguagem comum, correta ou incorretamente, veremos mais adiante.

A depressão é uma doença do humor, que é a função psíquica que acompanha a adaptação ao nosso mundo psicológico e externo: o tom é alto quando estamos em condições agradáveis, diminui quando vivemos em situações desagradáveis.

Difusão da perturbação

Os dados do ISTAT  informam que “a depressão é o transtorno mental mais difundido : estima-se que na Itália exceda 2,8 milhões (5,4% das pessoas com 15 anos ou mais) dos que sofreram durante 2015 e são 1. , 3 milhões (2,5%) daqueles que apresentaram sintomas de depressão maior nas duas semanas anteriores à entrevista. 

Os dados mostram novamente que a média europeia em comparação com a média italiana é ainda mais alta (1,7% em comparação com 5,2% na UE28)

Como mencionado um pouco acima da frequência com que ouvimos ou dizemos frases como ” Hoje estou deprimido ” ou ” Vamos lá, não fique deprimido. “, São ao mesmo tempo indicativos e enganosos.

A incidência dessa condição não deve, de fato, ser confundida com a tristeza ou apatia normal que às vezes pode ser sentida, tanto na ausência de estímulos externos quanto na presença de certos eventos da vida. Vamos dar um exemplo:

Tristeza e depressão

Ficar triste, com um sentimento de vazio e perda em face de uma demissão, o fim de um relacionamento ou uma perda é saudável.
O papel e o valor dessas emoções é permitir-nos processar o evento: em outras palavras, é uma resposta evolutiva do nosso sistema.
Uma resposta dolorosa, é claro, mas isso não deve ser confundido com a condição de depressão.

Para discriminar entre uma tristeza “saudável” e uma situação depressiva, é importante notar o comprometimento intenso e duradouro do funcionamento social normal da pessoa: da retirada à impossibilidade de executar algumas funções que antes eram realizadas diariamente até a sucidio (ou tenta).

Muitas pessoas que sofre de depressão está fazendo uso do captril que é um suplemento natural que combate depressão e ansiedade, porém é bom sempre consultar um especialista antes de tudo para entender em que condição você se encontra é fundamental .

 


Quais são os sintomas?

” Minhas forças criativas foram reduzidas a uma preguiça inquieta. Não tenho fantasia, não sinto nada pela natureza, e a leitura se tornou repulsiva para mim. Quando somos roubados de nós mesmos, somos roubados de tudo! Johann Wolfgang Goethe

A depressão se manifesta através de vários sintomas, que podem ser resumidos em três áreas principais: sintomas somáticos, sintomas emocionais, sintomas comportamentais:

Sintomas somáticos

– perda de energia
– sensação de fadiga
– distúrbios de concentração e memória
– agitação e nervosismo motor
– perda ou ganho de peso
– distúrbios do sono (insônia ou hipersonia)
– falta de desejo sexual
– dor física
– sensação de náusea.

Sintomas emocionais

– tristeza
– angústia
– desespero
– culpa
– vazio
– desesperança no futuro
– perda de interesse em qualquer atividade
– irritabilidade e ansiedade.

Sintomas comportamentais

– redução das atividades diárias
– prevenção de pessoas e isolamento social
– comportamento passivo
– redução da atividade sexual
– tentativas de suicídio.

Além dessa lista de sintomas, provavelmente é ainda mais útil ver este pequeno vídeo divulgado pela Organização Mundial da Saúde para entender como é e como é possível “enganar” e superar o que é chamado metaforicamente de ” cachorro preto “.

Veja mais detalhes no vídeo abaixo:

Como tratar artrose

A artrose, para quem não sabe, também é conhecida como osteoartrite. Ela é uma doença que afeta as articulações, levando ao desgaste dessas cartilagens que atuam recobrindo as extremidades dos ossos.

No entanto, ela também pode afetar outros componentes articulares, tais como a membrana sinovial, os ligamentos e até mesmo o líquido sinovial.

A cartilagem tem como sua principal função a proteção das extremidades dos ossos, possibilitando que se movimentem deslizando e sem atritos entre si

Quando essa estrutura do corpo é comprometida pela artrose, o paciente pode sentir dores, limitação dos movimentos, inchaço e mais.

Embora a artrose possa atacar qualquer junta do corpo, ela é mais comum em articulações como joelhos, coluna, mãos e quadris.

Vale lembrar ainda que essa é uma doença que tende a piorar com o tempo e não tem cura.

No entanto, o emprego de um tratamento adequado ajuda a retardar a progressão da mesma, além de poder aliviar a dor e melhorar a função articular.

De acordo com os dados do Ministério da saúde, cerca de 15 milhões de pessoas são acometidas pela artrose no Brasil. A OMS (Organização Mundial da Saúde) ainda afirma que essa é a quarta doença que mais afeta a qualidade de vida de um indivíduo.

Afinal, como tratar artrose?

Como já foi dito, ainda não existe uma cura para a artrose, no entanto, o principal objetivo do tratamento é evitar que a doença evolua e chega a um estágio limitante.

Sendo assim, os sintomas da artrite podem ser aliviados com medicamentos, tais como:

  • Analgésicos: esse tipo de medicamento até pode ajudar a controlar a dor, mas não atua na diminuição da inflamação. Sendo assim, é eficaz para pessoas com dor leve ou moderada.
  • Produtos naturais: o Flex Caps funciona tanto como medicamentos, com a vantagem de não ter efeitos colaterais.
  • Anti-inflamatórios não-esteroides: esse tipo de remédio pode ajudar na redução da inflamação e, consequentemente da dor. No entanto, tem alguns efeitos colaterais pouco agradáveis.
  • Narcóticos: esse é o tipo de medicamento que possui ingredientes semelhantes à codeína, podendo aliviar as dores de quadros mais graves. Vale alertar, porém, que há o risco de dependência, mesmo que pequeno.

Mais do que isso, existem outras terapias que podem ser usadas no tratamento da artrose, tais como:

  • Fisioterapia: pode ajudar a criar um regime de exercícios que irão fortalecer os músculos em torno das articulações.
  • Terapia ocupacional: ajuda a descobrir formas de realizar sua rotina diária sem estressar as articulações.

Pronto, agora você já sabe um pouco mais sobre o tratamento para artrose!

4 cuidados para evitar a impotência

Pesquisas realizadas pela SBU (Sociedade Brasileira de Urologia), constataram que 45% dos homens sofrem de disfunção erétil.

Esta disfunção se define pela incapacidade de obter ou manter o pênis numa rigidez satisfatória para realizar uma relação sexual completa. Dentro deste percentual, o maior número de homens que sofrem com o problema são os hipertensos (55%).

Segundo os especialistas desta área, as causas podem ser muito variadas e múltiplas. Uma combinação de fatores que somados resultam na impotência.

Por isso para definir um tratamento o médico deve analisar com bastante calma e profundidade as causas do problema já que a disfunção atinge homens nas mais variadas idades e condições, então ao notar qualquer sintoma, marque uma consulta o quanto antes!

Muitas pessoas tentam se automedicar, isto é fácil de ver pelo número absurdo de pesquisas para termos como viagra, onde comprar viagra, tittanus onde comprar, vialis e outros. Alguns produtos naturais não tem problema, como é o caso do Tittanus, porém medicamentos como o famoso azulzinho e outros podem ter efeitos colaterais e prejudicar em vez de ajudar.

Algumas causas podem ser evitadas através de escolhas conscientes do seu modo de vida, são elas:

  1. Evitar o uso de drogas.

As drogas são grandes causas da impotência sexual. O índice de risco para os homens que fumam é de 40% de chances de sofrer de disfunção erétil. Os usuários de cocaína, álcool, crack aumentam suas chances para 48%.

O uso prolongado destas substâncias afeta o sistema circulatório que o principal responsável pela ereção, acarretando impotência, ejaculação precoce e redução drástica de libido.

  1. Dormir bem.

Não estamos querendo determinar o número de horas necessárias.  Cada indivíduo segue um padrão de sono. Mas de acordo com o estudo realizado os pacientes que apresentavam disfunção erétil não chegavam a um estado profundo de sono.

Despertavam várias vezes durante a noite e relatavam períodos de sono fragmentado.

Uma noite de sono profundo proporciona relaxamento e bom funcionamento do seu organismo diminuindo assim a ansiedade e as causas da disfunção.

  1. Fuja da obesidade.

O sedentarismo e a obesidade estão entre as causas mais comuns da disfunção erétil. Além disto provocam a elevação do nível de colesterol e a hipertensão.

Manter uma atividade física e alimentação saudável podem ser grandes aliados na prevenção da impotência. Procure uma atividade que lhe traga prazer e assim você poderá manter sua saúde equilibrada evitando não só a impotência como também outras doenças.

  1. Evite o estrese.

Sabemos que muitas vezes não é fácil, pois a vida atual exige muito das pessoas, tanto na vida profissional como na pessoal.

Níveis altos de estresse acabam desencadeando uma série de fatores como ansiedade, cansaço, mau humor, baixa autoestima etc.

Se você tem uma rotina muito agitada tente equilibrar com momentos de lazer, descontração e atividades que lhe dão prazer.